Unha Encravada: As causas mais frequentes e como tratá-la

A unha encravada resulta da penetração do canto da unha, principalmente dos hálux (dedões dos pés), sendo menos frequente nas mãos, na pele que circunda a unha, causando reação inflamatória. A forma mais frequente de unha encravada ocorre devido ao corte errado do canto da unha. Uma “espícula lacerante” da borda lateral é empurrada para frente e com o crescimento contínuo da unha, dentro da pele, atua como um corpo estranho e produz irritação, dor e inflamação que, se não for tratada, essa inflamação vai piorando, a borda da unha fica avermelhada, inchada, predispondo invasão bacteriana com pus, levando à formação de uma “carne esponjosa”, chamado de granuloma piogênico.

Fatores predisponentes:

– Corte inadequado das unhas;

– Hereditariedade;

– Constituição física;

– Aumento da curvatura da unha, unha convexa, ou unha em telha;

– Tropeções;

– Queda de objetos sobre a unha, traumas.

Fatores adicionais agravantes:

– Espessamento da pele ao redor das unhas(mais comum por inflamações e traumatismos repetidos na região);

– Calçados muito justos;

– Calçados altos e de bico fino.

O corte das unhas deve ser reto, ou seja, quadrado, formando um ângulo de 90 graus entre a extremidade livre com as laterais.

Portanto, os tipos mais frequentes de unha encravada, são:

-Tipo 1: a unha é normal que , em consequência de um corte inadequado do canto da unha, resulta em uma espícula lacerante na borda ungueal.

-Tipo 2: a unha é normal mas as bordas de pele ao redor são grossas e espessadas( hipertróficas) devido à reações inflamatórias repetidas.

-Tipo 3: lâmina ungueal deformada.

Tratamento

O dermatologista vai avaliar e indicar o melhor tratamento para cada caso, pois depende da gravidade do problema. Quando há inflamação com pus, é porque há infecção bacteriana e o médico vai indicar antibióticos de uso local ou oral. Se tiver a “carne esponjosa”, o médico poderá cauterizá-lo com substâncias químicas ou através da eletrocoagulação.

O tratamento cirúrgico do canto da unha (cantoplastia) pode ser indicado e tem bons resultados, mas dependendo da constituição física e se voltar a cortar erroneamente os cantos das unhas, há recidiva do quadro. A cirurgia de retirada da unha toda é completamente contraindicada , porque quando a unha é formada novamente e cresce, volta a encravar.