Hiperidrose e Bromidrose: Os incômodos do suor e odor excessivo

 

Hiperidrose

O suor é importante para o controle da temperatura corporal e a hiperidrose é um excesso desagradável de suor em uma ou várias partes do corpo. Um aumento de suor pode ocorrer em algumas situações do cotidiano sem que isso signifique uma hiperidrose, como por exemplo: exposição ao sol e/ou ambientes muito quentes, praticar atividades físicas, trabalhar em atividades pesadas, carregar peso e ingerir certos tipos de alimentos como pimenta, álcool e cafeína. As emoções também podem gerar suor. E este suor é condição normal, que faz com que o corpo libere fluídos e assim mantenha a temperatura corporal estabilizada.

Causa da Hiperidrose

A hiperidrose pode ser primária ou secundária.

Hiperidrose Primaria: A primária não tem causa conhecida, é de origem genética e relacionada com estresse e instabilidade emocional. Pode manifestar-se na infância, adolescência ou idade adulta.

Hiperidrose Secundária: A secundária aparece em decorrência de outras doenças, entre elas hipertireoidismo, diabetes, obesidade, alterações hormonais, menopausa, doenças neurológicas.

Sintomas

A hiperidrose pode manifestar-se nas mãos, pés, axilas, rosto, sob as mamas, na região inguinal e couro cabeludo, que são as áreas
que contém maior número de glândulas sudoríparas. Nas hiperidroses de fundo emocional, os sintomas desaparecem durante o sono.
Os pacientes referem suor constante em uma, ou mais, dessas áreas do corpo, aparecimento inesperado, piora com o nervosismo e tensão, e quanto mais a pessoa pensa no problema do suor os sintomas pioram. O suor aparece tanto no frio quanto no calor.

Quando o Hiperidrose se torna grave

A sudorese excessiva e constante é uma condição constrangedora, desagradável, que dificulta as atividades do cotidiano e interfere no trabalho, no lazer e no ambiente social. Atividades simples como escrever, apertar a mão de outra pessoa, segurar papéis se torna um problema. Quando o quadro de hiperidrose é grave, ocorre gotejamento espontâneo das mãos, e quando ocorre nas axilas, o suor molha a roupa, deixando a pessoa constrangida e com aspecto de falta de higiene.

Diagnóstico

É clínico, baseado nos sintomas, na história do paciente e deve-se avaliar a hipótese de hiperidrose secundária provocada por alguma doença de base.

Tratamento

A hiperidrose não é uma doença grave, mas pode comprometer a qualidade de vida com implicações nas atividades sociais, escolares e profissionais. Portanto, se faz necessário procurar um médico para fazer o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento para cada caso.

Os tratamentos podem ser:

Tópico: Formulações de uso local com medicações que visam diminuir a sudorese ou através de aparelhos para iontoforese( aparelho que ajuda a penetrar os princípios ativos na pele).

Toxina botulínica: Ótima opção terapêutica, interrompendo a secreção sudoral na área tratada por períodos de 6 a 12 meses.

Cirurgia:Indicada para os casos mais graves, com a remoção das glândulas sudoríparas das axilas ou simpatectomia, ou seja, são cortados os nervos responsáveis pelo estímulo à sudorese.

Bromidrose


A bromidrose é caracterizada pelo odor desagradável, muitas vezes intenso, resultante da decomposição do suor por bactérias e fungos encontrados nas axilas e nos pés.

Glândulas sudoríparas

Existem dois tipos de glândulas sudoríparas: as Écrinas e Apócrinas.

Écrinas:Estão distribuídas pela superfície corporal desde o nascimento e tem função termorreguladora. O suor que eliminam pelos poros é constituído basicamente por água e alguns sais minerais que não se decompõem, por isso quase não exalam nenhum cheiro.

Apócrinas: Desenvolvem-se nos locais onde tem pelos como axilas ,área genital e couro cabeludo. O suor que secretam é eliminado através dos folículos pilosos e além de água e sais, contém restos celulares e do metabolismo que podem produzir odores desagradáveis quando expostos à ação de bactérias e fungos, em ambientes com calor e umidade.

Além da ação de bactérias e fungos, diabetes, alcoolismo, alimentos como alho, cebola e pimenta, alguns antibióticos e hormônios podem alterar o odor da transpiração.

Tratamento

Primeiramente, deve-se tratar a causa da bromidrose e diminuir a sudorese no local.

Dicas de como manter a higiene nas mãos, pés e axilas:

Sabonete: Usar sabonetes antissépticos e desodorantes antiperspirantes;

Pós-banho: Secar bem a pele depois do banho, especialmente nas áreas de dobras, axilas, virilhas e no meio dos dedos;

Roupas: Usar roupas de algodão puro, especialmente roupas íntimas e meias. Evite tecido sintético. Trocar e lavar as roupas diariamente.

Sapatos: Limpar os sapatos depois de usá-los e deixa-los em locais ventilados;

Consulta ao Dermatologista: Consultar sempre um dermatologista para indicar o melhor tratamento, que pode ser desde tratar a sudorese, a infecção bacteriana ou fúngica associada, prescrição de talcos, sprays e fórmulas adequadas para cada tipo de problema.